NEC completa 40 no País

Os 40 anos de NEC no Brasil, provedora de soluções convergentes de redes de comunicação e tecnologia da informação estão entrelaçados à evolução das telecomunicações no País. A empresa participou ativamente do mercado de comunicações. Como parte da comemoração, os executivos da empresa inauguraram nesta terça-feira (25) um espaço dedicado a memória da companhia, batizado de “Espaço Tadashi Suzuki”, homenagem a um dos primeiros presidentes da empresa.

Tudo começou em 1965, quando foi constituída a Empresa Brasileira de Telecomunicações (Embratel). No mesmo ano, a empresa lançou uma concorrência internacional para o fornecimento e instalação de equipamentos de transmissão por rádio microondas para integrar São Paulo, Curitiba e Porto Alegre – o chamado Tronco Sul, marcando a etapa inicial da implantação do sistema nacional de telecomunicações.

A NEC inaugurou no ano seguinte um escritório de representação no Rio de Janeiro, venceu a concorrência da Embratel e enviou ao Brasil o seu melhor grupo de profissionais. A empresa, inicia então, a implementação. Uma ligação telefônica entre São Paulo e Curitiba, por exemplo, que demandava um tempo de espera entre 6 e 7 horas, passou a ser instantânea.

Essa realidade parece mais que distante diante da evolução das telecomuniações. Mais perto da realidade, já em 2007, o país adota o sistema japonês de TV Digital. A NEC foi pioneira nos testes de transmissão do sistema, realizado para a Rede Globo.

Em 2008, a empresa anunciou seu plano de crescimento, o Phoenix 2.0 – que tem o objetivo de dobrar o tamanho de sua operação em quatro anos e alcançar um faturamento de R$ 600 milhões no Brasil em 2011 e de US$ 1 bilhão na América Latina. Este ano, o lucro líquido deve crescer entre 25 e 30% em relação ao atingido no ano passado (R$ 370 milhões). Ainda alinhada a esta estratégia a companhia trouxe para o país novos produtos e serviços voltados para provedores de serviços de comunicações, mercado corporativo e utilites.

Para Herberto Yamamuro, CEO da NEC Brasil, a crise econômica mundial não deverá afetar o plano traçado pela empresa. “Tão logo a turbulência passe, a economia do País, os agentes de mercado e o governo tem plenas condições de se restabelecer. Sendo assim, nosso crescimento não está comprometido”, analisa.

Fonte: B2B Magazine

Publicado por Marcus Vinícius

Consultor e Desenvolvedor WEB/VOIP, atua em projetos pela Innovus desde 2003, focado no desenvolvimento de soluções de telefonia IP utilizando o software Asterisk. Contribuidor ativo dos portais VoIPCenter, AsteriskOnline e AsteriskBrasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.