Saiba como aproveitar a TV Digital aberta no seu televisor …

RIO – A TV Digital aberta já está disponível em três cidades brasileiras (Rio, São Paulo e Belo Horizonte), mas afinal de contas, o que é preciso para usufruir das vantagens dessa nova tecnologia? E quais são as vantagens mesmo? Por pouco mais de uma semana especialistas das empresas TeleSystem, Aiko, AOC e Leadership responderam perguntas enviadas pelos leitores do GLOBO ONLINE sobre o assunto (clique aqui e confira todas as perguntas respondidas), para esclarecer as dúvidas mais freqüentes.

Confira abaixo as respostas para as principais dúvidas apresentadas pelos leitores e algumas dicas dadas pelos especialistas para melhor usufruir as vantagens da TV Digital aberta.

RESOLUÇÃO – Para ser considerado HD o sinal deve ter resolução mínima de 768p e para Full HD 1080p. HD Full é uma TV equipada com um painel de LCD que possui resolução máxima de 1080 linhas no modo de varredura progressivo (1080p). O não full HD possui resolução máxima de 1080 linhas, porém no modo de varredura entrelaçado (1080i). Na prática, a varredura progressiva lê todas as 1080 linhas em todos os frames, enquanto a entrelaçada lê as linhas pares de um frame e as ímpares do seguinte. Como as imagens têm vários frames por segundo, o olho humano não percebe essa diferença.

Imagem completa / Foto: Reprodução de vídeo (baixa qualidade técnica) Imagem de um frame, com linhas alternadas, deixa marcado o movimento / Foto: Reprodução de vídeo (baixa qualidade técnica)

A resolução máxima da TV Digital é 1080i. A resolução Full HD, de 1080p, só é encontrada em HD DVD ou BluRay DVD. Se o usuário tem intenção de comprar esses produtos (DVD em alta resolução) nos próximos dois anos, então tente comprar o Full HD. Senão, opte pelo HD que dará uma ótima qualidade de imagem.

EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS – Atualmente somente as cidades de São Paulo (11 emissoras), Rio de Janeiro (2 emissoras) e Belo Horizonte (2 emissoras) possuem sinal de TV Digital. Se você mora em uma dessas cidades, precisa verificar se a sua casa tem uma antena que receba canais UHF, faixa na qual é transmitido o sinal da TV Digital brasileira. Os canais UHF incluem a MTV e a Rede Vida, por exemplo. Se já receber estes canais pela TV aberta então a sua antena provavelmente poderá ser utilizada.

Independente de modelo e ano, a TV deve possuir no mínimo, uma entrada de Áudio/Vídeo. Os receptores de TV Digital existentes no mercado possuem pelo menos uma saída de vídeo, portanto, já estão adequados para a televisores antigos.

A partir daí, é preciso adquirir um receptor de TV digital (conhecido como set-top box) e conectá-lo ao seu televisor. A sugestão é comprar um produto que já ofereça uma saída HDMI, mesmo que você ainda não tenha uma TV com essa entrada. No futuro, se você comprar uma, o conversor poderá ser usado.

Ao conectar o receptor conversor a sua TV verifique os tipos de entradas de áudio e vídeo (A/V) disponíveis no televisor e prefira as conexões com maior resolução, na seguinte ordem: (1) HDMI -> (2) Component video (as três entradas nas cores Vermelho/Verde/Azul) -> (3) S-Video -> (4) Sinal composto (entrada com a cor amarela). Conecte o cabo de áudio (entradas nas cores branco e vermelho).

Ligue a antena externa no receptor/conversor. Selecione na TV a entrada em que você ligou o receptor/conversor. Ligue o receptor/conversor e se oriente pelo manual sobre como proceder para fazer a busca automática de canais. Ao final da busca você já estará vendo imagens da emissora com a qualidade no mínimo igual a do DVD.

É importante lembrar que o receptor recebe um sinal por vez, ou seja, ele consegue sintonizar/decodificar uma emissora por vez. Assim, em um sistema coletivo haverá a necessidade de ter a quantidade de sintonizadores igual às emissoras transmitidas. Com um só receptor num prédio, por exemplo, todos apartamentos terão de assistir ao mesmo canal. Em São Paulo, onde 11 emissoras já transmitem o sinal digital, o prédio precisaria ter 11 receptores.

ANTENA E SINAL – A antena usada para receber o sinal da TV Digital brasileira é a antena UHF de faixa larga. Dependo da região onde reside o usuário, uma antena interna será suficiente. Um dos pontos fortes da TV Digital Aberta é a cobertura. Assim sendo, se na sua região você já sintoniza emissoras em UHF analógica mas a qualidade da imagem não é boa devido ao sinal fraco, há uma grande probabilidade da TV Digital Aberta resolver seu problema.

Se o nível de sinal for suficiente, a qualidade de áudio e vídeo que você receberá será igual a de um DVD. Procure um ‘antenista’ da sua região e pergunte sobre a recepção do sinal digital, ele poderá dar uma informação precisa e eventualmente sugerir um antena externa de melhor ganho para garantir a recepção.

Além disso, a recepção da TV Digital aberta de alta definição via parabólica é possível, mas com limitação de emissoras. Atualmente existem duas emissoras (Band e Rede TV!) transmitindo o sinal e é necessário ter uma antena parabólica comum (banda C) direcionada para o satélite C-2 (antigo B-4) e adquirir um receptor/decodificador DVB-S2 HD desenvolvido para este fim.

SISTEMA BRASILEIRO – O sistema de TV digital implantado no Brasil é o SBTVD-T – Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre. Até agora, é um sistema exclusivo do Brasil. Portanto, set-top boxes comercializados em outros países não irão funcionar aqui. Os receptores com tecnologia digital comercializados nos EUA, por exemplo, utilizam o sistema ATSC, que é totalmente incompatível com o sistema de transmissão adotado pelo Brasil. Uma das maiores incompatibilidades é que no sistema americano a transmissão é efetuada via Cabo, e no Brasil é efetuada via aérea na frequência de UHF.

Televisores comprados fora do país, no entanto, podem funcionar com as set-top boxes produzidas aqui, contanto que tenham uma porta de entrada/saída compatível, como o HDMI.

DELAY – Não tem jeito, o atraso é intrínseco ao padrão brasileiro. O sinal é recebido e então convertido, armazenado e a partir daí apresentado. Portanto, existe um atraso para processar toda esta informação.

NO COMPUTADOR – Para captar o sinal da TV Digital num PC ou notebook é preciso ter um sintonizador USB. Os sintonizadores disponíveis no mercado brasileiro ainda são One Seg e a resolução máxima do sinal recebido é de 240×320 pixels. Isso significa que você vai poder ver toda a programação, mas sem alta definição.

Em contrapartida, por ser de ‘baixa resolução’ o sinal poderá ser visualizado mesmo que em movimento e portanto será mais provável sintonizar este sinal em qualquer lugar. Existem ainda produtos que oferecem a possibilidade de uma antena externa, prefira-os para diminuir o risco de não sintonizar as emissoras na sua casa ou escritório.

TV DIGITAL NO CARRO COM DVD – Não basta conectar um receptor USB no DVD, pois esse produto é específico para computadores (PCs e notebooks). Existem no mercado receptores específicos (set-top box) para automóveis com tecnologia ‘OneSeg’ desenvolvidos especialmente para esse uso. Normalmente esse produto já vem com uma antena externa, controle remoto e um cabo A/V (áudio e vídeo) para conectar à entrada AUX (auxiliar) do DVD automotivo. A instalação é simples e poderá ser feita pelo próprio usuário.

RECEPTOR EMBUTIDO OU SEPARADO – As ofertas de televisores com receptor embutido ainda são poucas e portanto o preço ainda é elevado, mas a tendência é começar a aumentar a oferta e os preços diminuírem. Deve se fazer a conta na hora da compra da TV com o receptor embutido versus TV (com a mesma resolução) + o receptor/conversor e se a diferença não for grande opte pelo embutido.

Fonte: O Globo Online

Publicado por Marcus Vinícius

Consultor e Desenvolvedor WEB/VOIP, atua em projetos pela Innovus desde 2003, focado no desenvolvimento de soluções de telefonia IP utilizando o software Asterisk. Contribuidor ativo dos portais VoIPCenter, AsteriskOnline e AsteriskBrasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.