Lula e Chávez assinam acordos, mas não avançam em negociação sobre …

O Globo Online, com Agência Brasil

CARACAS – Os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez assinaram, nesta sexta-feira, em Caracas, na Venezuela, 21 acordos nas áreas energética, industrial, agrícola, tecnológica, ambiental e de educação. Apesar da expectativa, não foi anunciado nenhum avanço sobre a parceria entre Brasil e Venezuela para refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. No último encontro entre os dois presidentes, foi firmado um acordo para construção da refinaria, mas ainda faltam definir questões como o estatuto da empresa, acordo de acionistas e contratos de compra e venda de petróleo. A Abreu Lima já está em construção, mas apenas com recursos da estatal brasileira.

O que tem dificultado esse acordo, por parte do Brasil, é o fato de a Petrobras ter ações na Bolsa de Valores. O presidente Lula justificou a demora:

– Estamos trabalhando com muito cuidado, porque não é uma ação entre amigos, mas uma relação entre duas empresas grandes e poderosas.

Indagado se a Petrobras não tinha mais interesse no petróleo da Bacia do Rio Orinoco, o presidente foi evasivo:

– Quanto mais petróleo Brasil e Venezuela encontrarem, mais poderosos seremos. Juntos seremos mais fortes, juntos poderemos mais.

Chávez afirmou na solenidade de assinatura de atos não ver problema no fato de o Brasil estar descobrindo petróleo:

– Estamos contentes que o Brasil siga conseguindo mais petróleo. Essa é mais uma razão para unir estas grandes nações.

Troca de energia

Ainda na área energética, os dois países acertaram a troca de energia entre as usinas hidrelétricas de Guri, na Venezuela, Tucuruí, no Pará e Belo Monte, também no Pará. Esse projeto ainda depende da construção de uma linha de transmissão entre os dois países. A compra de gás natural liquefeito da Venezuela está prevista para depois de 2014.

Os dois presidentes ressaltaram a necessidade de integração entre os países da América Latina para fortalecer a economia da região. O presidente Lula disse que já não existe mais desconfiança do empresariado brasileiro para investir na Venezuela.

Meio ambiente

Os presidentes Lula e Chávez se comprometeram a trabalhar juntos para conservação do meio ambiente, da Região Amazônica e para fortalecer a economia da fronteira entre os dois países.

A Venezuela vai fornecer ao Brasil uma linha de conexão por fibra ótica para ampliar o acesso à internet de alta velocidade no Norte do país. Os dois países também vão trocar experiências de tecnologia na área de TV digital.

O Brasil vai ajudar a Venezuela a desenvolver suas áreas industrial e agrícola por meio dos escritórios da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Outro acordo visa garantir a segurança das aeronaves que circulam na região de fronteira. Também foi firmado acordo para regulamentar o intercâmbio de pessoas condenadas para que possam cumprir as sentenças em seus países de origem.

Caso VarigLog

Durante visita à Venezuela, o presidente Lula evitou responder qual foi a participação do advogado Roberto Teixeira, seu compadre, no processo de venda da Varig. Lula criticou a polêmica criada em torno da venda da VarigLog para a Volo do Brasil em 2006, operação que teria sido aprovada após tráfico de influência de Teixeira.

– Acho um absurdo que um acordo feito e determinado por um juiz, alguém invente uma suspeita. Quem inventou uma mentira e uma falsa manchete que explique à sociedade. Se as pessoas acreditam em quem contou uma mentira, foi para o Congresso e prestou depoimento e as pessoas não conseguem sair dessa, não é problema meu. Para mim, o caso Varig está encerrado – disse Lula.

Para o presidente,o caso Varig está encerrado.

O presidente Lula foi recebido por Chávez no Palácio de Miraflores para um encontro privado às 13h (11h30m, horário da Venezuela) e depois os dois participaram de um encontro de trabalho ampliado com seus ministros. O presidente Lula foi a Caracas para analisar as relações do Brasil com a Venezuela de Hugo Chávez, em uma nova rodada de encontros trimestrais agendados pelos dois presidentes.

Agenda

Durante as cerca de cinco horas que deve durar a visita, Lula e Chávez revisarão a agenda bilateral, que o chanceler venezuelano Nicolas Maduro, classificou como “dinâmica, intensa e extensa”. O ministro destacou que no encontro, que terá parte realizada na sede da estatal de petróleo venezuelana, a PDVSA, serão discutidos diversos projetos industriais, especialmente na área de energia. O principal item deste último ponto é a possibilidade de comercialização de gás natural venezuelano para o Brasil e a ampliação da rede de interligação elétrica entre Roraima (Brasil) e Bolívar (Venezuela). Lula e Chávez também devem discutir a cooperação industrial e agropecuária e da criação de uma zona de integração na fronteira dos dois países, além, da entrada da Venezuela no Mercosul.

Em termos gerais, se espera que Chávez transmita a Lula seu temor de que o término do governo de George W. Bush, seja marcado pelo fortalecimento do que chama de “campanha feroz”, contra seu governo. Os dois presidentes também vão analisar a proposta de Lula de criar um Conselho de Defesa da União das Nações Sul-Americanas (Unasur). Ainda discutirão a adesão da Venezuela ao Mercosul, que aguarda aprovação dos congressistas do Brasil e Paraguai.

Leia também:Chávez afirma: já nos sentimos parte do Mersocul

Fonte: O Globo Online

Publicado por Marcus Vinícius

Consultor e Desenvolvedor WEB/VOIP, atua em projetos pela Innovus desde 2003, focado no desenvolvimento de soluções de telefonia IP utilizando o software Asterisk. Contribuidor ativo dos portais VoIPCenter, AsteriskOnline e AsteriskBrasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.