Digital verde amarelo

Uma mensagem do reitor da PUC-RS, Joaquim Clotet, foi o conteúdo da primeira transmissão de sinal de TV Digital feita com tecnologia 100% brasileira em Porto Alegre nesta quinta-feira, 05.

Um total de 25 engenheiros do Centro de Pesquisa em Tecnologia Wireless da PUC-RS fez a programação do chip que converte o sinal analógico em digital. Agora o Ceitec vai embarcar a tecnologia em um chip que não pode ser reprogramado, o que permitirá a produção em série.

Finalmente, a paulista RF Telavo vai produzir o conversor em escala industrial, já em 2009. A companhia deu uma contrapartida de R$ 3 milhões aos R$ 18 milhões financiados pelo BNDES e espera vender 500 unidades no primeiro ano.

A RF terá seis meses de carência como detentora exclusiva da tecnologia, depois dos quais ela poderá ser explorada por outros interessados. “Vamos vender os aparelhos pela metade do preço cobrado hoje”, explica Almir Ferreira, CEO da RF.

Segundo o executivo, um conversor importado custa em média US$ 20 mil, valor que dobra com as taxas de importação. O custo é motivo de queixa das redes de TV, que necessitam arcar com os investimentos sem que exista uma base expressiva de audiência pronta para receber o sinal. Até 2016, toda transmissão de TV no Brasil deverá ser digital.

Na PUC-RS, o trabalho não está encerrado. “Vamos preparar conversores para os modelos americano e europeu também”, revela Fernando de Castro, coordenador do Centro de Pesquisa em Tecnologia Wireless da PUC-RS.

A tecnologia permitirá que empresas brasileiras exportem para países que adotem um modelo diferente do japonês, adotado no Brasil.

Fonte: Baguete

Publicado por Marcus Vinícius

Consultor e Desenvolvedor WEB/VOIP, atua em projetos pela Innovus desde 2003, focado no desenvolvimento de soluções de telefonia IP utilizando o software Asterisk. Contribuidor ativo dos portais VoIPCenter, AsteriskOnline e AsteriskBrasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.