Receita da Globo cresce 7% em 2007

RIO – A Globo Comunicação e Participações, empresa que controla a TV Globo, divulgou o balanço de 2007, ano em que foi registrado crescimento de 7% na receita líquida e redução de 16% na dívida na comparação com 2006. Ficou negativa a relação dívida líquida e lajida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

A receita bruta consolidada em 2007 atingiu R$ 7,3 bilhões e a líquida, R$ 6,6 bilhões. O lucro bruto consolidado totalizou R$ 3 bilhões e o líquido, R$ 574,8 milhões, ligeiramente inferior aos R$ 582,8 milhões registrados em 2006. A margem lajida no ano passado ficou em 20%, patamar semelhante ao de 2006.

Em 31 de dezembro de 2007, o grupo estava com R$ 1,732 bilhão em caixa e o total da dívida era de R$ 1,2 bilhão (ao final de 2006 era R$ 1,5 bilhão). Parte dessa dívida, US$ 525 milhões (R$ 918 milhões), só vence a partir de 2022. Refere-se a bônus perpétuos ou de 15 anos.

O Grupo Globo usou integralmente para reduzir a dívida os bônus captados em abril com prazo de 15 anos e opção de recompra a partir do quinto ano. A emissão foi limitada a US$ 200 milhões embora a demanda tenha superado US$ 1 bilhão.

Mesmo reduzindo a dívida, a Globo Participações manteve o plano de investimentos. Foram destinados R$ 283 milhões a projetos como implementação da TV digital, compra de equipamentos e a construção da sede da Globosat, entre outros. Atualmente a expectativa é manter o caixa vigoroso diante da situação de instabilidade criada com a crise americana. A Globo optou por postura de segurança e garantir reservas já que considera a liquidez importante em período de incertezas.

O ano de 2008 foi iniciado redução de 5% na dívida total consolidada vencendo no curto prazo, considerando um pré-pagamento iniciado em janeiro.

Segundo relatório de administração assinado por Roberto Irineu Marinho, presidente das Organizações Globo, os indicadores financeiros são resultado da estratégia de longo prazo, com fortalecimento da estrutura de capital, e redução e alongamento do prazo médio da dívida.

Desde 2005, a Globo Comunicações e Participações já conseguiu 9 graus indicativos de melhora pelas agências de classificação de risco. Atualmente, os graus são BB+ pela Standard & Poor ? s e Ba1 pela Moody´s. O grupo recebeu a mesma indicação do risco soberano, um nível abaixo do grau de investimento.

(Heloisa Magalhães | Valor Econômico)

Fonte: O Globo Online

Publicado por Marcus Vinícius

Consultor e Desenvolvedor WEB/VOIP, atua em projetos pela Innovus desde 2003, focado no desenvolvimento de soluções de telefonia IP utilizando o software Asterisk. Contribuidor ativo dos portais VoIPCenter, AsteriskOnline e AsteriskBrasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.