O cenário da tecnologia doméstica

O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR – NIC.br, apresentou hoje os resultados da 3a. Pesquisa Sobre Uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação no Brasil, a TIC Domicílios 2007. Em 2007, o Brasil teve um expressivo aumento nas aquisições domiciliares de computadores. O equipamento está presente em 24% das residências, o que representa aumento de 4 pontos percentuais em relação a 2006. O resultado mostra que os programas de inclusão digital que facilitam a compra de micros pela população por meio do aumento de financiamento e da isenção de impostos estão surtindo efeito.

De acordo com Mariana Balboni, gerente do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br), as conexões em banda larga já estão presentes em 50% dos domicílios brasileiros que possuem acesso à Internet, mas 42% ainda acessam a rede principalmente por modem tradicional via acesso discado. Em 2006, a conexão dial-up era predominante, com 49%, enquanto a banda larga representava 40% dos tipos de acesso domiciliar. O crescimento da banda larga no período foi, portanto, de 10 pontos percentuais.

O estudo mostra ainda que as conexões em banda larga já estão presentes em 50% dos domicílios brasileiros que possuem acesso à Internet, mas 42% ainda acessam a rede principalmente por modem tradicional via acesso discado. Em 2006, a conexão dial-up era predominante, com 49%, enquanto a banda larga representava 40% dos tipos de acesso domiciliar. O crescimento da banda larga no período foi, portanto, de 10 pontos percentuais.

A principal barreira de posse de equipamentos TIC nas residências continua sendo econômica: o custo elevado do computador (78%) e do acesso à Internet no domicílio (58%). No entanto, o principal motivo declarado que leva o brasileiro a não usar a Internet é a falta de habilidade (55%), reforçando que a posse do equipamento não é pré-requisito para o uso. Outros motivos mencionados são a falta de necessidade ou interesse (39%) e a falta de condições de pagar o acesso (31%).

Apesar disso, uma boa notícia dada pela pesquisa foi o crescimento do uso da Internet em centros públicos de acesso pago (Internet cafés, lanhouses etc), que se transformaram no local predominante para o acesso à Internet no Brasil. Mariana diz que esse tipo de acesso pago saltou de 30% em 2006 para 49% em 2007, passando à frente do uso em domicílio, que se manteve estável em 40%.

Entre as principais atividades desenvolvidas na Internet em 2007, destacaram-se as ações relacionadas à comunicação, lazer e busca de informações online, que foram realizadas por quase 90% dos internautas brasileiros. Na comunicação, a Internet foi usada principalmente na troca de e-mails (72%), na participação em sites de relacionamentos, como o Orkut (64%), e no envio de mensagens instantâneas (55%).

 

Fonte: B2B Magazine

Publicado por Marcus Vinícius

Consultor e Desenvolvedor WEB/VOIP, atua em projetos pela Innovus desde 2003, focado no desenvolvimento de soluções de telefonia IP utilizando o software Asterisk. Contribuidor ativo dos portais VoIPCenter, AsteriskOnline e AsteriskBrasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.