10 previsões para a indústria de tecnologias sem fio

HSDPA, acesso aberto e segurança de iPhone entre as tendências no mercado wireless para 2008

A InCode, subsidiária da VeriSign que é especializada em consultoria de tecnologia e de negócios sem fio, divulgou suas 10 previsões referentes às principais tendências na indústria de produtos sem fio, para o próximo ano. Essas previsões têm a finalidade de ajudar os fabricantes de produtos de tecnologia e os consumidores a fazerem um planejamento melhor para o ano de 2008, segundo a inCode.

Elas são as seguintes:

1. O HSPDA (high-speed downlink packet access), tecnologia para telefones celulares de terceira geração, irá se popularizar. Trata-se de uma tecnologia bem desenvolvida, com mais de 10 milhões de usuários em âmbito global e com um número crescente de dispositivos oferecendo compatibilidade com ela, de acordo com a inCode. O HSDPA não irá competir com as tecnologias de quarta geração, como a LTE (long term evolution) e WiMax, uma vez que elas estão em um estágio diferente de maturidade. Faltam dois anos para que a WiMax tenha sua implementação comercial; e para a LTE, ainda faltam quatro anos.

A operadora norte-americana Verizon, no fim de 2007, revelou seus planos para desenvolver a LTE para sua rede 4G, ao mesmo tempo em que pretende adotar uma plataforma de acesso comum, com a Vodafone, para fornecer serviços mundialmente, com base na tecnologia. Cerca de 24 milhões de assinantes, no mundo todo, utilizarão serviços baseados na LTE até 2012, conforme a Juniper Research.

2. O leilão do espectro de 700 MHz, que será realizado em breve nos Estados Unidos, proporcionará uma oportunidade para uma nova operadora por atacado, que não fornecerá serviços diretamente para os consumidores. Este modelo será dirigido pelo Google e companhias similares, e empregará tecnologias como rádios com base em software, Wi-Fi e femtocells (pontos de acesso).

De acordo com os registros feitos recentemente na Federal Communications Commission (Comissão Federal de Comunicações), órgão regulador do mercado norte-americano de telecom, 266 empresas candidatas participarão do leilão, incluindo: AT&T, Cablevision, Google, MetroPCS Wireless, Qualcomm, U.S. Cellular e Verizon Wireless. O Google está entre os mais promissores, uma vez que sua abordagem permitirá que diferentes provedores de software e hardware utilizem o espectro para oferecer produtos e serviços para os consumidores, a preços baixos.

3. O acesso aberto e a concorrência entre os fabricantes de chips levarão os fabricantes de dispositivos a evitarem as operadoras. O acesso aberto dará origem a novos serviços, mas o lado negativo disso é que os subsídios que as operadoras atualmente concedem para os dispositivos serão eliminados. Provavelmente, surgirão subsídios patrocinados por anunciantes, o que significa que, em vez de estabelecer contratos com as operadoras, os consumidores terão de concordar em receber anúncios, a fim de obter serviços de telefonia gratuitos ou por baixo custo.

4. Com uma iniciativa em direção às redes com base em IP e ao acesso aberto, haverá oportunidade para que as operadoras mostrem verdadeira distinção quanto à qualidade de serviços. Por um lado, os consumidores poderão implantar seus próprios dispositivos nas redes das operadoras, sem receberem subsídios nem o tipo de apoio que eles atualmente esperam ao fazer a assinatura dos serviços das operadoras. Por outro lado, os consumidores poderão obter grande confiabilidade, acesso prioritário e garantias de qualidade de serviço para aplicativos como VoIP. Os clientes irão escolher eles mesmos os serviços, com base em suas preferências, incluindo o desempenho e os preços que eles quiserem.

A Verizon Wireless, em novembro passado, chocou a indústria de tecnologia sem fio dos EUA ao anunciar que a partir de 2008 abrirá sua rede nacional para os dispositivos móveis, software e aplicativos não oferecidos pela operadora, que declarou que terá duas categorias de clientes: clientes de serviços completos – aqueles que compram dispositivos e serviços da Verizon e recebem suporte técnico; e os clientes auto-suficientes – aqueles que implantam seus próprios serviços nas redes das operadoras, sem dispor de serviços completos.

5. A banda larga sem fio continuará a ser o serviço com crescimento mais rápido. O HSDPA dominará até que a LTE se torne comercial, e seja incluída em laptops para conectividade sem fio. Enquanto isso, a WiMax será incluída em alguns dispositivos destinados aos consumidores. Como resultado, o mercado de laptops receberá um impulso, porque os consumidores vão querer comprar laptops que tenham melhor conexão.

6. A conectividade P2P se tornará dominante como tecnologia. Os distribuidores nos Estados Unidos começarão a utilizar rede P2P de próxima geração, segura e protegida por DRM para distribuir conteúdo. Além disso, os estúdios e as transmissoras aumentarão a oferta de serviços em nível superior, o que significa ter a capacidade de fazer download de vídeo sob demanda e outros conteúdos pela Internet em dispositivos móveis.

7. O fornecimento de cobertura sem fios dentro de edifícios passará a formar grande parte da estratégia das operadoras, especialmente quando se tratar de clientes de serviços corporativos. As operadoras habilitarão a cobertura para seus clientes corporativos internos, que trarão grandes lucros, em vez de tentar abranger cidades inteiras com sua cobertura. Femtocells de baixo custo e pequeno consumo de energia serão uma tecnologia importante utilizada pelas operadoras. Entretanto, as questões técnicas não disponibilizarão esta tecnologia para uso pleno em 2008.

As femtocells são pequenas estações-base projetadas para uso doméstico e em escritórios, a fim de ajudar a aumentar a cobertura celular dentro de edifícios. Elas irão atrair mais de 100 milhões de usuários, nos próximos 5 anos, de acordo com a ABI Research. Potencialmente, o uso das femtocells pode ampliar a cobertura sem fios interna e ajudar a reduzir as tarifas das chamadas “domésticas” nos dispositivos móveis.

8. À medida que as operadoras desenvolvem redes 3G e introduzem serviços de uso intensivo de largura de banda, elas terão de otimizar e atualizar o backhaul de suas redes, para assegurar que a qualidade de serviço não seja comprometida. O backhaul representará uma grande despesa operacional para as operadoras, totalizando cerca de 30% do orçamento anual destinado às operações em rede.

9. A publicidade móvel irá direcionar conteúdo e inovações, até mesmo fazendo com que as operadoras desistam de seus modelos de negócios com base em assinaturas. Os modelos com base em publicidade substituirão os modelos com base em assinaturas, de modo similar ao que aconteceu na Internet. A busca inteligente, a busca com base em locais e outras associações com conteúdos e produtos irão gerar grandes rendimentos com publicidade para as operadoras.

As vendas de publicidade móvel nos Estados Unidos responderam por US$421 milhões, em 2006. Esse número deverá alcançar cerca de US$5 bilhões, em 2011, somente nos EUA, conforme a empresa de pesquisas de mercado, eMarketer. As vendas globais de publicidade móvel atingirão US$11,3 bilhões, em 2011.

10. Um importante incidente referente à segurança da tecnologia iPhone ocorrerá no setor corporativo, aumentando a conscientização e a necessidade de segurança em dispositivos móveis e fazendo evoluir um novo mercado para os softwares de segurança neste segmento, e também para os softwares e serviços de gerenciamento de dispositivos móveis.

Fonte: IT Web

Publicado por Marcus Vinícius

Consultor e Desenvolvedor WEB/VOIP, atua em projetos pela Innovus desde 2003, focado no desenvolvimento de soluções de telefonia IP utilizando o software Asterisk. Contribuidor ativo dos portais VoIPCenter, AsteriskOnline e AsteriskBrasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.